Quando você fala a pessoa escuta?


A primeira coisa que você aprendeu a fazer quando saiu da barriga da sua mãe foi chorar. E, o choro, é um tipo de comunicação. Você passou uma mensagem para o médico, para sua mãe, seu pai e os enfermeiros. E, com certeza, eles sabiam o que você estava dizendo.


Mas agora você cresceu e precisa comunicar informações para seus clientes, ou apresentar seu produto a um potencial cliente.

Ou, talvez, você precisa passar instruções para seus funcionários.

E seus sócios, parceiros? Sente que a comunicação às vezes é difícil?


Então, fique comigo, porque vou te dar um passo a passo para dominar a "Arte da Comunicação"!

Sim, você vai querer que as pessoas ouçam novamente seu "choro".



O que irei te falar aprendi com um mestre em filosofia empresarial, Jim Rohn.


Comunicar é como realizar qualquer tarefa. Qualquer tarefa tem uma arte dentro de si. E para executar com maestria uma tarefa, você não usa uma única ferramenta. Claro, há algumas ferramentas básicas; só que para aprimorar sua tarefa, o artista, o mecânico, ou qualquer outro profissional buscará ferramentas mais precisas para 'quase' atingir a perfeição.


O mesmo acontece com a comunicação. Comunicar não é apenas transmitir informações através de palavras, sejam elas faladas ou escritas.

Vou agora te apresentar as ferramentas propostas pelo nosso filósofo, Jim Rohn. Elas se dividem em duas categorias: verbais e não verbais.


Vamos falar da categoria verbal:


O primeiro ponto a considerar nesta categoria tem a ver com SUAS PALAVRAS.

Há um provérbio bíblico (Prov. 18:21) que diz: "Morte e vida estão no poder da língua".

Ou seja, nas palavras que você usa. Elas podem ferir alguém ou ser uma cura. Podem mover nações e podem destruir alguém, podem acabar com um time de trabalho. Por isso, pense bem nas palavras que irá usar e em como irá usá-las.


E segundo aspecto da categoria verbal é SEU VOCABULÁRIO.

Procure ampliar seu vocabulário; isso atrai as pessoas. Um vocabulário rico te ajudará a conversar tanto com pessoas mais simples, que tem um vocabulário básico, como também com aqueles que tem um vocabulário mais amplo. E em ambos os grupos isso aumentará suas oportunidades.


Em terceiro lugar, você deve considerar sua EMOÇÃO ao falar.

As emoções podem ser um comunicador muito eficaz. Vale sorrir para mostrar que você tem um lado divertido, tendo o cuidado de não levar tudo na brincadeira. Você também não quer passar a imagem de um 'palhaço'.

Vale ficar com 'raiva', expressar sua indignação com determinada situação. Só não pode ficar com raiva com frequência ou ser desrespeitoso, senão poderá passar a imagem de alguém ranzinza.

Você pode até chorar para expressar sua sensibilidade, sua ternura, em determinada situação.

Associe tudo isso ao seu tom de voz e a mudança da velocidade quando fala. Isso dará variedade à sua fala.

A emoção, quando controlada, é um comunicador poderoso.


Por fim, e tão importante quanto, na categoria verbal precisamos cuidar de como PRONUNCIAMOS as palavras.

As pessoas precisam te entender e para isso você precisa falar de modo claro, inteligível. Agora, tome cuidado para não ser muito professoral, porque isso pode parecer artificial, teatral demais, e prejudicará a comunicação. Além do mais, você quer que as pessoas realmente te escutem e entendam. De outra forma, estará falando ao vento.


Muito bem, falamos até agora da categoria VERBAL. Agora, falaremos da categoria NÃO VERBAL. O que está envolvido nisso?


SUAS MÃOS. Use suas mãos para fazer gestos. Os gestos podem ser usados para enfatizar algo ou para descrever algo.


SEUS OLHOS. Tem um ditado que diz que “os olhos são a janela da sua alma.” E isso é verdade. Imagine uma mãe simplesmente olhando para seu bebê, ou um casal que se ama olhando nos olhos um do outro? Sente a ternura e o amor presentes neste momento, sem palavras?

Agora, imagine-se conversando com alguém que fica olhando constantemente ao redor, ou olhando a mensagem no celular, ou parece que buscando algo? Como você se sentiria?

Por isso, quando você fala com alguém, olhe para eles. Dê-lhes atenção com os olhos. Ouça-os com seus olhos. Comunique a eles que eles são importantes.


EXPRESSÕES CORPORAIS, principalmente seus braços.

Aqueles que estudam isso nos dizem que cruzar os braços é uma maneira infalível de se isolar da outra pessoa. Ele comunica fechamento, medo e oposição.

Sabemos que nem sempre isso é verdade; mas, será que nosso interlocutor sabe também? Ou ele irá considerar que estamos ‘fechados’? Então, cuidado com os braços, deixe-os leves, “relaxados”.


SUA POSIÇÃO. Também isso precisa ser levado em conta. Você está sentado? Mantenha o corpo em 90 graus, não como que deitado na cadeira, ou de forma muito descontraída. Está em pé? Fique ereto, cabeça erguida e de frente para o grupo a quem fala. A forma como você se posiciona, pode comunicar muito.


Agora só falta uma coisa: praticar, praticar, praticar. Sugiro que você simule uma entrevista, uma venda, uma palestra e grave um vídeo tentando aplicar as sugestões apresentadas. Depois veja e reveja e corrija os erros.

Aplicando essas dicas você pode, sim, dominar a arte da comunicação.


Informação adicional:

Você gostaria de potencializar a gestão do seu negócio?

Se sim, então clique aqui e saiba mais.



#gestão #negócio #business #comunicação #arte #pessoas #conhecimento #dicas #blog #artigo #coach #wix #verbal #fale #conversa #equipe #time

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo